Compartilhe!

DinheiroO Governador do Estado anunciou ontem o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará em 2012. Ele ficou em 3,64%, um crescimento quatro vezes superior ao obtido pelo Brasil no período, que foi de 0,9%. As riquezas geradas pelo Estado no acumulado de 2012 somaram R$ 94,6 bilhões. O governador Cid Gomes afirmou que “um crescimento desses nunca havia sido atingido pelo Ceará”. No acumulado dos últimos seis anos (2007/12), o PIB cearense acumula alta de 31,4% e o Brasil de 23,6%.

Cid Gomes comentou o desempenho durante a reunião para avaliação do Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (Mapp). Ele disse que o aumento é resultado das políticas federais, da ampliação da renda mínima que repercute mais fortemente em regiões mais pobres e dos investimentos públicos que o Estado teria “bem direcionado” para as áreas de infraestrutura, como portos, aeroportos, abastecimento d’água, dentre outros.

Queda

Flávio Ataliba, presidente do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), fez a apresentação dos resultados do PIB, mas não foram só boas notícias. A Agropecuária registrou uma grande variação negativa, de 20,11%, provocada pela seca que atinge não só o Ceará, mas todo o Nordeste. Já a Indústria apresentou uma melhora, fechando o ano com crescimento de 2,63%, enquanto que o PIB nacional experimentou uma queda de 0,8%. Alguns setores da indústria no Ceará tiveram resultados negativos. A extrativa mineral foi a que registrou maior déficit (-4,42%), seguida pela indústria de transformação (-1,50%).

A construção civil e as indústrias dos setores de água, eletricidade e gás apresentaram bons resultados, com alta de 4,72% e 8,79% , respectivamente. Mas novamente foi o setor de Serviços o que apresentou maior crescimento em 2012, de 5,8%, enquanto que no Brasil ele foi de apenas 1,7%. No Ceará, os melhores desempenhos foram obtidos pelo segmento de Transportes (7,99%), Comércio (7,95%), Alojamento e Alimentação (6,65%) e aluguéis (5,94%).

Ajuda Federal

Segundo o governador, as políticas públicas do governo federal ajudaram a estimular a economia cearense. Para ele, essas medidas “aquecem o mercado de consumo e é o comércio quem mensura isso mais rapidamente. Se o comércio vende mais ele demanda mais, é o circulo virtuoso da economia”, afirmou.

Fonte: O Povo

Compartilhe!