Compartilhe!
CDs da Aol para acesso discado(foto: Reprodução/TecnoBlog)

CDs da Aol para acesso discado
(foto: Reprodução/TecnoBlog)

Você chegou a viver a época da internet discada no Brasil? Onde as pessoas esperavam dar meia noite, onde a navegação era mais barata, para entrar no ICQ ou baixar 1 ou 2 músicas por madrugada… Tempos difíceis.

A internet discada desapareceu da realidade de muitos brasileiros há alguns anos (assim como estes CDs da Aol que vemos na foto ao lado, distribuídos em supermercados, Lojas Americanas e similares).

Nos Estados Unidos, embora a estrutura de telecom seja melhor, esse mesmo tipo de acesso ainda responde por uma fortuna de receita para a Aol: US$ 500 milhões.

O custo de ter internet lenta, limitada a 56 kb/s, é bem pequeno – ainda mais para a realidade americana. O plano mais básico sai por 10 dólares mensais e dá direito a “serviço dial-up ilimitado”, segurança da McAfee, serviço de backup da Norton e outras firulas. Por 26 dólares mensais o assinante tem o plano mais completo.

Em 2011, o TecnoBlog noticiou que a Aol possuía 3,5 milhões de assinantes de internet discada. Mais de 90% a menos do que tinha na época de ouro do grupo, em 2002 (26,5 milhões).

No Brasil, não se sabe a quantidade de usuários de dial-up, já que a Anatel conta o acesso como uma chamada telefônica de fixo para fixo. Mas não é interessante saber que até nos dias de hoje, ainda tem pessoas que preferem o acesso discado?

Com informações do TecnoBlog

Compartilhe!